Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Certificados de Extensão > Notícias > Outubro Rosa e Novembro Azul: campanhas que salvam
Início do conteúdo da página

Outubro Rosa e Novembro Azul: campanhas que salvam

Publicado: Quinta, 19 de Outubro de 2023, 11h25 | Última atualização em Quinta, 19 de Outubro de 2023, 14h29 | Acessos: 1081
imagem sem descrição.

Os servidores do IFSP campus São José do Rio Preto apoiam as Campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul e incentiva a população a cuidar da saúde

 

O movimento internacionalmente conhecido como "Outubro Rosa" é comemorado em todo o mundo e foi criado em 1990, quando o símbolo da prevenção ao câncer de mama, o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA) e promovida anualmente.

No decorrer dos anos, outras cidades e instituições aderiram ao movimento com ações diversificadas voltadas à prevenção do câncer de mama e seu diagnóstico precoce.  e além de atividades, prédios públicos, pontes, teatros, igrejas, monumentos tornaram-se alvo da iluminação rosa, sendo bastante utilizada no Brasil, e a primeira iniciativa registrada foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo-SP.

A partir de 2009 a campanha ganhou força e outros locais passaram a receber o tom rosa durante o mês de Outubro, como a Estátua do Cristo Redentor, a Fortaleza da Barra, o Jardim Botânico, o Congresso Nacional, o Palácio dos Bandeirantes, o Palácio Piratini, a Catedral de Brasília e vários outros.

A campanha “Novembro Azul” teve origem na Austrália no ano de 2003 e, no Brasil, foi comemorado pela primeira vez em 2008 e tem como objetivo sensibilizar e conscientizar a população masculina em relação aos cuidados com a saúde e a importância da realização dos exames de prevenção contra o câncer de próstata. A escolha do mês está relacionado ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, que é celebrado no dia 17 de novembro.


Campanhas que salvam

Com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre o câncer de mama e de próstata, a prevenção e diagnóstico precoce, as campanhas visam contribuir para reduzir a incidência e a mortalidade pela doença que, se descoberto no início, maiores são as chances de cura.

  

O câncer de mama

O câncer de mama é o tipo que mais incidente em mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos.

Em 2020 foram estimados 2,3 milhões de casos, o que representa 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas em mulheres, sendo as maiores taxas de incidências registradas em países desenvolvidos.

No Brasil, o câncer de mama também é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres de todas as regiões, e fica atrás apenas do câncer de pele não melanoma. As regiões mais desenvolvidas, Sul e Sudeste, possuem as taxas de incidência e mortalidade mais elevadas, e a Região Norte, a menor.

Para 2021, foram estimados 66.280 novos casos da doença, ou seja, 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.

Segundo a Agência Internacional para Pesquisa em Cancer (IARC), o câncer de mama é a causa mais frequente de morte entre as mulheres, com 684.996 óbitos estimados, 15,5% dos óbitos por câncer em mulheres. (IARC, 2020).

Embora pouco frequente, a incidência entre os homens vem aumentando e a idade média de ocorrência é de 65 a 70 anos. Apesar de raro, corresponde a menos de 1% de todos os cânceres no homem, a proporção de número de casos é de 100 casos femininos para um masculino.

 

Os principais sinais e sintomas suspeitos de câncer de mama são:

  • caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor;
  • pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja;
  • alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos;
  • Pode aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).

Conheça quais os principais fatores de risco, como comportamentos ambientais, aspectos da vida e fatores genéticos no site do Instituto Nacional de Câncer, que apresenta uma série de informações relevantes sobre o tema.

 

O câncer de próstata

O mês de novembro é dedicado à conscientização e prevenção do câncer de próstata, que é o segundo mais comum entre os homens e fica atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

A campanha Novembro azul reforça a importância do diagnóstico precoce e dos cuidados e prevenção do câncer de próstata e doenças em geral como forma de incentivar os homens a cuidar da saúde e tê-la como rotina na sua vida.

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde revelam que, de 2019 a 2021, foram mais de 47 mil óbitos em razão desse tipo de câncer. Em 2021, 16.055 homens morreram em consequência da doença e para 2022, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são esperados 65.840 novos casos de câncer de próstata.

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Sintomas:

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são:

  • dor óssea;
  • dores ao urinar;
  • vontade de urinar com frequência;
  • presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

Fatores de risco:

  • histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
  • raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
  • obesidade.

Prevenção e tratamento:

Para garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

O tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida.

Para os casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, em que, periodicamente é realizado o monitoramento da evolução da doença com intervenção se houver indícios de progressão.


Fontes:

BRASIL. Ministério da Saúde. Ministério da Saúde destaca importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE MUNICÍPIOS. Outubro Rosa é lembrado no mundo todo com iluminação especial em monumentos turísticos.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Estimativa 2020: incidência do Câncer no Brasil.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Atlas da mortalidade.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Eu cuido da minha saúde todo dia. E você? .

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSE ALENCAR GOMES DA SILVA. Câncer de próstata.

INTERNATIONAL AGENCY FOR RESEARCH ON CANCER. Cancer today.


Siga o Campus São José do Rio Preto nas redes sociais
Resultado de imagem para icone youtube @IFSPRioPreto/videos
/ifspriopreto
@ifsp_riopreto
/ifspriopreto

Fim do conteúdo da página